Seguros podem garantir apoio financeiro às empresas em momentos delicados

*Francisco de Assis Fernandes Enfrentar uma crise não é algo desejado por qualquer presidente ou gestor de empresa. De toda maneira, é preciso que esses executivos estejam preparados para o enfrentamento de problemas dos mais variados tipos, sejam eles em decorrência de situações internas ou externas. Traçar cenários e pensar em formas de proteger a companhia e seus ativos são ações estratégicas e indispensáveis.

Durante o planejamento, os Seguros devem, então, ganhar destaque. Há uma série de opções disponíveis no mercado atualmente. Isso significa que, com a consultoria certa, é possível e totalmente viável para as empresas, criar escudos eficientes pensando em todos os principais pilares das companhias e, consequentemente, preservar o negócio financeiramente.

Quando pensamos em formas de proteger uma empresa, são duas as opções que vem à mente em um primeiro momento. Um é o Seguro Empresarial clássico, que cobre agravos à estrutura física da empresa, como incêndio, danos elétricos, despesas fixas, assistência e reparos à rede elétrica e de telefonia, conserto de ar condicionado e, em casos mais específicos, até a deterioração ou contaminação de vacinas em ambientes frigorificados ou danos a equipamentos e utensílios de cozinha.

Outra alternativa lembrada é o Seguro de Vida Empresarial. Proteger as pessoas deveria ser uma das principais preocupações para qualquer empresa, seja qual for o momento ou mercado. Se pensarmos nas circunstâncias atuais, o benefício seria ainda mais valorizado e apreciado pelos colaboradores. Um seguro desse tipo, proporciona proteção e cobertura a colaboradores e dirigentes de empresas em caso de morte natural ou acidental, além de invalidez permanente total ou parcial, por acidente ou doença. Também inclui cobertura aos filhos e cônjuges dos profissionais, proteção em caso de doenças congênitas dos filhos e até despesas com verbas rescisórias. Há, ainda, outras opções interessantes e complementares a essas, como seguro para proteção de eventos, seguro destinado à cobertura de prestamistas, seguro para profissionais de motofrete, entre outros. É válido notar que todos esses seguros são investimentos viáveis tanto para grandes corporações quanto para pequenas e médias empresas.

Destaco que a crise de saúde enfrentada mundialmente, causada pela COVID-19, vem provocando uma importante reflexão nas pessoas. Finalmente, questões como adoecer e até a morte deixaram de ser um enorme tabu e passam a ser discutidos de forma mais aberta entre as famílias. O planejamento financeiro se tornou uma realidade mais forte, visto que muitos estão impedidos de trabalhar e, consequentemente, precisam rever o orçamento. A paralisação obrigatória das atividades comerciais para que se cumpra o isolamento social também fez empresários e gestores pensarem em maneiras de resguardar melhor as companhias e prepará-las para enfrentar situações atípicas. Afinal, quem algum dia imaginou ser possível que o mundo todo parasse praticamente todas as suas atividades por causa de um vírus? Se isso aconteceu neste momento, certamente podemos e devemos projetar cenários e permanecer preparados para eles. Os seguros, por sua vez, podem ser uma ferramenta importante para encarar essas novas possibilidades sem correr riscos desnecessários, não é mesmo?

*Francisco de Assis Fernandes é diretor comercial da American Life, seguradora brasileira reconhecida por oferecer seguros a nichos específicos com mais de 25 anos de mercado – www.alseg.com.br



0 visualização

Agência Seg News - Com informação suas decisões são mais seguras @2019 Todos os direitos reservados

Rua Fritz Muller, 140 - São Paulo-SP Cep 02634-080   -  WhatsApp: 95794-6570   -  Tel 2278-1774