Agência Seg News - Com informação suas decisões são mais seguras @2019 Todos os direitos reservados

Rua Fritz Muller, 140 - São Paulo-SP Cep 02634-080   -  WhatsApp: 95794-6570   -  Tel 2278-1774

Presidente do CNseg falou sobre as reformas e "ações específicas para destravar o mercado de s


As reformas estruturais, a começar pela previdência social, a agenda liberal (como a MP da Liberdade Econômica assinada pelo presidente Bolsonaro esta semana) e ações específicas para destravar o mercado de seguros foram destacadas pelo presidente da Confederação das Seguradoras (CNseg), Marcio Coriolano, na abertura do 1º Congresso Regional Centro-Oeste e Minas dos Corretores de Seguros (Congrecor) realizado em 2 e 3 de maio, no Center Convention de Uberlândia (MG).

Marcio Coriolano fez um breve diagnóstico dos problemas e soluções da atual conjuntura brasileira e dos desafios do setor de seguros. No plano macroeconômico, destacou que o atual governo e o Congresso Nacional ratificam a vontade de promover as reformas estruturais — por ordem, a da Previdência, seguida pela tributária, mais as privatizações e as medidas microeconômicas —, fatores que considera estratégicos para melhorar os fundamentos da economia e o ambiente de negócios.

No âmbito do setor de seguros, Coriolano afirmou que o setor depende da geração de mais empregos e renda no País, para que mais “pessoas e famílias possam destinar parte de seu orçamento à compra de proteção proporcionada pelas seguradoras”. O presidente da CNseg reforçou a necessidade de o governo integrar o setor de seguros às suas políticas econômicas e setoriais. Defendeu, também, a abertura plena do mercado segurador à iniciativa privada, ao sugerir a privatização do Seguro de Acidentes do Trabalho e o novo modelo de seguro de crédito à exportação. Para Marcio Coriolano, é possível também constituir novos modelos de seguros para cobertura de acidentes de trânsito e de acidentes marítimos. Ao lado disso, a desburocratização e a desregulamentação do setor são, em sua análise, importantes para o mercado segurador avançar e demonstrar que pode contribuir na recuperação do País.

Marcio Coriolano lembrou que o setor de seguros permanece resiliente, mas que, enfrentou cenários desafiadores, com o arrefecimento profundo da economia no período 2014/2016, seguido de baixo crescimento econômico, algo que, segundo ele, ainda se reflete na desaceleração de importantes modalidades de seguros, o que, segundo Marcio, explica o resultado obtido pelo mercado segurador em 2018, de R$ 460 bilhões, que permaneceu estável.

O 1º Congrecor, além de palestras e talk shows, conta com uma feira de exposição e negócios. Essa edição do Congresso, iniciativa pioneira dos Sindicatos dos Corretores de Seguros de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais, tem como tema central de debates “Inovação, Negócios e Oportunidades. Nesta sexta feira, 03/05, o presidente Marcio Coriolano estará entre os participantes do talk show que discutirá as perspectivas do setor de seguros.

Sobre a CNseg

A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) congrega as empresas que compõem setor, reunidas em suas quatro Federações (FenSeg, FenaPrevi, FenaSaúde e FenaCap). A missão primordial da CNseg é congregar as lideranças das Associadas, elaborar o planejamento estratégico do setor, colaborar para o aperfeiçoamento da regulação governamental, coordenar ações institucionais de debates, divulgação e educação securitária e representar as Associadas perante as autoridades públicas e entidades nacionais e internacionais do mercado de seguros.


5 visualizações