Procura por seguro de pessoas cresce 29,6% em maio

Análise considera o resultado em relação ao mesmo mês de 2020. Alta é puxada pelos ramos de vida, funeral, doenças graves e prestamista cuja participação foi mais expressiva - Dados do levantamento de maio de 2021 do mercado de seguro de pessoas, realizado pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida – FenaPrevi, demonstram que o segmento alcançou mais de R$ 4,2 bilhões em prêmios no mês, valor 29,6% maior do que o aferido em maio de 2020 que foi de R$ 3,2 bi.

A evolução, em termos percentuais e por representatividade, indica aumento de 41,4% no seguro Prestamista (R$ 1,34 bilhão); 40,4% em Funeral (R$ 88 mi); 37,4% no Vida Individual (R$ 757 mi), além de 35,2% no de Doenças Graves/Terminais que arrecadou R$ 121 milhões, e vem seguido pelo de Vida em Grupo (17,6%) com R$1,1 bilhão. Todos registraram incremento quando comparados aos resultados de maio de 2020.


Evolução também no acumulado


De janeiro a maio de 2021, a maioria dos seguros de pessoas também apresentou aumento – somando um montante de R$ 20 bilhões em prêmios, com 15% de acréscimo sobre o mesmo período do ano anterior.

Destacam-se o seguro de Vida (individual e coletivo), que permanece como o mais relevante em termos de valores – R$ 8,9 bi e 18,5% de aumento; seguido pelo Prestamista (R$ 6,4 bi e 16%), pelo Vida em Grupo (R$ 5,3 bi e 9,7%) e pelo de Acidentes Pessoais (R$ 2,67 bi e 11%), todos com ganhos em receita na comparação com os primeiros cinco meses de 2020. Na mesma curva ascendente vêm os segmentos Educacional (38,3%), Funeral (29,2%) e Doenças Graves/Terminais (27,8%).


Alta também nos sinistros


O volume de indenizações pagas aos participantes e beneficiários de seguros, seja na análise mensal ou na do acumulado, também apresentou alta. Apenas em maio as empresas destinaram aos segurados R$ 1,9 bilhão, mais do que o dobro do valor pago no mesmo mês do ano anterior, que foi de R$ 948 milhões. Já a soma dos sinistros contabilizados nos cinco primeiros meses de 2021 foi R$ 7,6 bilhões, valor 75% maior do que o registrado no mesmo recorte de 2020.

Para Carlos De Paula, diretor-executivo da FenaPrevi, apesar do cenário difícil, sob o ponto de vista social e desafiador, sob o aspecto econômico, diante de todos os efeitos decorrentes da pandemia, a sociedade está percebendo a importância que os seguros estão fazendo na vidas das pessoas.

“É fato que houve valores expressivos em indenizações no período, no entanto acredito que a mais relevante e nobre missão se refere ao intenso trabalho que a Federação e associadas têm realizado de difundir e conscientizar a população acerca da cultura securitária e previdenciária, de modo que os cidadãos estejam protegidos frente às eventuais adversidades ao longo da vida”, destacou o diretor.

De Paula explica que os números listados demonstram não apenas o crescimento do mercado, mas uma evolução no comportamento dos consumidores. “Venceremos a pandemia, entretanto a mudança de postura que constatamos nos brasileiros é fundamental para uma sociedade que está passando pela mais profunda transição demográfica da sua história”.


Sobre a FEDERAÇÃO


A Fenaprevi representa 66 associadas que, atualmente, respondem por mais de R$ 1 trilhão em negócios do mercado de seguros de pessoas e de planos abertos de previdência privada complementar. Tem como responsabilidade manter o constante diálogo entre as representadas, o setor público e a sociedade visando aperfeiçoar o ambiente de negócios e estruturar produtos e serviços cuja finalidade é a proteção social e a segurança dos clientes das associadas. A Federação também tem como missão difundir entre a população a cultura securitária e previdenciária, de forma clara, transparente e permanente, e de colaborar para o desenvolvimento social e econômico do País.


Carlos de Paula, diretor-executivo da Fenaprevi