Para o diretor da pioneira Opipari, Assessorias vivem seu melhor momento no mercado!

Em 1989, o executivo Hélio Opipari Jr, que tem formação em engenharia, trabalhava na Sul América Seguros, onde seu pai Hélio Opipari, era vice-presidente, recebeu um convite, que na verdade considerou "um desafio", pois trabalhava na área técnica da seguradora, para abrir uma filial da Senra Assessoria em São Paulo. Isso porque a empresa era a maior deste segmento no Rio de Janeiro e foi precursora deste modelo de prestação de serviços para os corretores de seguros. Enfim, a Senra passou a atuar em São Paulo sob a direção de Opipari Jr como sócio.


Como era um negócio novo pouco difundido naquele momento, ele destacou que estar "ligada" a uma grande companhia de seguros como a Sul América era muito importante. "Trabalhamos durante praticamente 10 anos exclusivamente com a Sul América Seguros. Somente no começo de 2000, iniciamos um processo de novas parcerias com outras seguradoras", afirmou. Seu pai Hélio Opipari, que havia se aposentado na Sul América em 1993, passou a trabalhar com ele na Senra em 1999.

Em 2005 Opipari Jr. resolveu criar a sua empresa, sua nova marca. Nasce então a Opirari Assessoria, que hoje atua com diversas companhias de seguros em produtos como Seguro Automóvel, R.E, Seguro de Vida e Saúde.

Ao comentar sobre o desenvolvimento da Opipari Assessoria, Opipari Jr. lembrou que o modelo de negócio se destacou e cresceu com o início da Microinformática entre 1989-90, e com o início da automação dos processos: Kits de Cálculos, Centrais de Cálculos de Seguradoras. "Nascemos nesse período, quando 90% da nossa produção era AUTO", lembrou.

Paralelamente, Opipari Jr. enfatizou que a velocidade da evolução do mercado não é comparável entre as companhias de seguros e os corretores de pequeno e médio portes. "Naquele período, os pequenos e médios corretores, não tinham condições de investir em equipamentos porque eram muito caros. E também não tinham conhecimento técnico pois era uma coisa nova e poucos corretores, e a própria sociedade ainda estava começando a conviver com as novas tecnologias. Então, as Assessorias começaram a operar nesse "vácuo" deixado pelas seguradoras", frisou.

Esse processo foi mais acelerado ainda porque as companhias começaram a desativar as suas Centrais de Cálculo e as Assessorias passam a oferecer esse suporte aos corretores, além da emissão das propostas de seguro. "Assumimos várias atividades para dar suporte aos corretores que não tinham estrutura e isso ocorre até hoje com alguns deles. As Assessorias evoluiram e passaram a capacitar os corretores, inclusive ajudando a adquirir equipamentos. Hoje nosso trabalho passou a ser muito mais de capacitação, treinamentos em novos produtos e claro apoio tecnico e comercial deixando o corretor livre para o que mais sabe fazer que é a prospecção e a venda complementou Opipari Jr.


A Opipari hoje...


Atualmente, a Opipari Assessoria está instalada em sua nova sede (Edifício Italia - Centro de SP), com uma filial em Guarulhos. Conta com 1500 corretores cadastrados em SP e outros 450 em sua filial. "Nesta Pandemia vimos a necessidade de investir mais em comunicação. Hoje, toda a nossa telefonia, comunicação via WhatsApp está em Nuvem, o que facilitou muito o atendimento aos corretores. Também criamos uma Central de Atendimento com mais pessoas para agilizar ainda mais o atendimento da Opipari. Também temos subsidiado Sistemas de Gestão para os corretores, Sistemas de Multicálculo de Auto, Residência e Saúde. São ítens importantes para os corretores desenvolverem os seus respectivos negócios", destacou Opípari Jr.

Sobre a atuação e mix de carteira da Opipari, ele afirmou que o Seguro Automóvel ainda é o "carro chefe", mas que essa realidade tem mudado nos últimos anos. Opirari Jr. lembrou que já teve uma grande carteira de Seguros de Grandes Riscos, Transportes etc., mas que, assim como o mercado, sofreu impactos com os Riscos Declináveis..."No caso da Opipari, 45% da produção é de Saúde e 55% Automóvel e demais ramos, como Residencial, Condomínio e Empresas. No Seguro de Vida, segmento que temos investido e ampliando a nossa atuação, já estamos colhendo frutos. Ainda não é grande a participação no nosso mix, mas já representa entre 3 a 5% do nosso mix", informou.

Com relação à Pandemia, ele observou que o processo acabou impactando muito a sociedade no sentido de conscientização quanto à necessidade de proteção. "No meu entendimento, a Vida passou a ser mais "valorizada". Ficou mais evidente que o nosso maior patrimônio é a Vida. Paralelamente, nossos produtos, que só tinha foco na Morte, ficaram mais modernos e oferecendo coberturas como Doenças Graves, DIT, resgate em Vida.,,,. São produtos que abrangem toda a sociedade e uma diversidade maior em relação a faixas etárias. Hoje, muitos jovens atuam como PJ (Pessoas Jurídicas), estão começando a formar suas famílias e então começam a sentir a necessidade de fazer um seguro. Sem contar com os processos de sucessões nas empresas", definiu Opipari Jr.


Saúde e Pandemia...


Com uma produção expressiva no segmento de Saúde, Opipari Jr. destacou que o crescimento da carteira foi "muito forte" no período pandêmico. Ele elogiou o trabalho desenvolvido pelo SUS (Sistema Único de Saúde), mas lembrou que o mesmo tem suas limitações, o que foi explicitado com o aumento da demanda por serviços médico hospitalares em função da COVID 19. No seu entendimento, por isso a sociedade sentiu a importância de ter um Seguro Saúde de boa qualidade. "Houve também a percepção de que não basta ter um Seguro Saúde, mas verificar quais as coberturas, rede credenciada etc.", avaliou.

Questionado sobre a atual tendência e lançamento de produtos regionalizados, ele afirmou que acha interessante e que trata-se de uma evolução que vem de encontro às necessidades de públicos específicos. "Às vezes, o cliente está comprando um plano de âmbito nacional e pagando um valor elevado por um produto que ele não vai usar. Na verdade, esse público requer um plano que tenha uma rede mais próxima da sua casa. Centros Médicos onde possa ser atendido, levar seus dependentes e resolver a sua situação. Por outro lado, tem aqueles que querem um plano mais amplo porque viajam etc. Acho que essa regionalização dos planos de saúde é uma forma de atingir e trazer mais clientes para o Saúde", cobrando um preco mais justo.


O mercado e as novas empresas digitais...


Um tema que está impactando o mercado e que na opinião de Opipari Jr, que é presidente da ACONSEG-SP, trata-se de uma tendência mundial e que não "temos como fugir" dos seus impactos. Ele acrescentou que, por sua vez, o brasileiro gosta muito de inovação e o exemplo disso é a forte presença nas redes sociais. Ele acredita que as novas seguradoras digitais podem contribuir muito para o mercado e fazer com que haja um crescimento expressivo da participação da sociedade na compra de seguros através desses meios que proporcionam mais facilidade, disruptura. Mas, contudo, fez algumas observações e advertências: ""Quando uma empresa vende milhares de Seguros de Vida a 7,99, será que ela vendeu o produto de forma correta, ou seja, o que o consumidor precisava...Ou, ao invés de um Seguro de Vida, vendeu um Seguro de Acidentes Pessoais (AP) e na hora do Sinistro com uma morte natural... Esse movimento de novos operadores no mercado é muito bom para atingir novos públicos que ainda não compravam seguros, mas tem que ter muito cuidado com a forma que estão sendo vendidos esses, principalmente com a comunicação. Temos que ficar atentos para a judicialização e isso pode ocorrer em todos os segmentos, Auto, Vida, Saúde. Vendas com informações insuficientes podem gerar muita judicialização nos contratos", avaliou.



A ACONSEG-SP e o melhor momento para as Assessorias


Ao finalizar a nossa entrevista, Hélio Opipari Jr. falou um pouco sobre a atuação da ACONSEG-SP (Associação das Empresas de Assessoria e Consultoria do Estado de São Paulo), que hoje representa 37 empresas associadas e um faturamento em torno de R$ 2,1 bilhões anuais em prêmios de seguros. Na opinião do presidente, hoje as Assessorias vivem o seu melhor momento. "Temos, assim como em outros momentos, o aumento das oportunidades no mercado para realmente contribuir junto aos corretores e aos nossos parceiros seguradores para fazer algo cada vez melhor para todos nós. Em um passado recente, poucas seguradoras entendiam o nosso modelo de negócio e tinhamos certa dificuldade para ampliar as nossas parcerias. Porém, hoje temos recebido muito apoio e sendo vistos como um complemento importante nas operações. Companhias que desejam entrar em determinada região e não desejam investir em estruturas propreias, estão identificando nas Assessorias importantes parceiras nessas situações. Principalmente nesta pandemia, quando muitas seguradoras reduziram suas estruturas, filiais...As Assessorias passaram a ter um papel fundamental para essas empresas e por isso tem aumentado a procura por parte de seguradoras para estabelecer parcerias. Estamos em um grande momento", comemorou o presidente.

Comentou também que a ACONSEG-SP tem investido muito, não apenas na capacitação do corretor, mas ajudando as assessorias em tecnologia e marketing. "Temos um Comitê focado nestes segmentos e investido muito em divulgação em mídias e redes sociais através da nossa revista, que hoje é digital. Estamos começando a divulgar as associadas também. A partir da próxima edição da revista, destacaremos 09 ou 10 perfis de assessorias para dar uma visibilidade maior para as nossas associadas", conclui