Mulheres crescem no setor de seguros por vocação natural para o cuidado

Por: Stephanie Zalcman - Existe um lado humano e uma orientação para as pessoas que acaba criando forte empatia com a equipe - Uma empresa de sucesso deve ter em sua liderança pessoas com características de personalidade e competências diferentes. A diversidade traz inovação e força as pessoas a quebrar paradigmas, faz crescer os negócios e traz novos modelos de gestão. Estudo da McKinsey fala em chance 21% maior de desempenho acima da média quando tiver mulheres no comando.

No setor de seguros as mulheres hoje já são maioria, representando 59% da força de trabalho total. Todavia, quando olhamos para as posições na liderança, os homens têm 3,5 vezes mais chances de ser um executivo na empresa e duas vezes mais chances de ser um gerente companhia. Felizmente a tendência do mercado é um aumento da presença feminina nos cargos de liderança.

No papel, não há nada que impeça as mulheres de atingir os cargos “C Level”, mas ainda muitas mulheres são acometidas pela “síndrome do impostor”, um sentimento de insegurança e incapacidade de internalizar o sucesso. Muitas vezes mais preparadas e qualificadas em nível de escolaridade e competências, comumente deixam de se candidatar para posições executivas por acreditar que não estejam preenchendo 100% dos pré-requisitos para a posição.

Aposto na capacidade das mulheres de resolver várias questões ao mesmo tempo, a concentração, a agilidade no pensamento para ser resolutiva e isso tanto na área de seguros como em qualquer outra faz a diferença. Vejo colegas de trabalho e do segmento desenvolvendo a cada dia papéis importantes para o crescimento do mercado.

Certamente, as mulheres possuem características que lhes são muito particulares. As mulheres são orientadas às pessoas, e por isso, tendem a ser mais sociáveis e expressivas. Promovem e estimulam facilmente o trabalho em equipe. Mulheres possuem alta capacidade em atuar em várias direções, temas ou atividades ao mesmo tempo. A liderança feminina é inclusiva, sempre encorajando participação. A mulher consegue ser inovadora, centrada, e ao mesmo tempo, flexível e sempre pronta para mudanças. Ao contrário do que muitos acreditam, a mulher tem um elevadíssimo controle emocional, sendo capaz de gerar altos níveis de empatia. A mulher tem a capacidade de enxergar além das aparências, antecipar uma demanda e perceber as necessidades do outro. Existe um lado humano e uma orientação para as pessoas que acaba criando forte empatia com a equipe.

Para ocupar posições que cada vez exijam mais capacidade técnica e profissional, é fundamental conciliar essas particulares natas com a capacitação técnica. As pessoas precisam estar prontas e preparadas quando as oportunidades aparecem. Quando estou no meu ambiente de trabalho, seja na empresa ou participando de eventos, sou da política da troca de informações, de conhecimento, para que todos saiam ganhando. Ali, me posiciono como alguém de mercado que sabe o que está falando e ao mesmo tempo chega disponível para ouvir o colega e aprender. E é desta forma que percebo que imponho respeito, como ser humano e como mulher.

No entanto, a característica multitarefa da mulher faz com que ela muitas vezes extrapole, em especial neste período de pandemia, com o home office, por isso o burnout tem sido uma preocupação crescente nas empresas. O amor pela profissão nos faz querer superar e, assim como tudo na minha vida, sempre quis fazer e dar mais do que muitas vezes o meu corpo me permitia. Foi quando tive um AVC transitório e pude enxergar que precisamos dar mais valor para nossa saúde, para nossa família, para o nosso entretenimento, pois o trabalho não pode nos consumir tanto. Mulher Maravilha só existe nas histórias em quadrinhos. Nós que cuidamos dos bens mais preciosos dos clientes, precisamos cuidar de nós mesmas antes de tudo.

As mulheres fizeram grandes avanços na conquista da igualdade em nosso setor, muito mais ainda precisa ser feito, mas seguimos nos destacando cada vez mais. É muito bom presenciar este momento de mudança de mentalidade em relação à atuação da mulher. É o nosso momento de ascensão, nossa hora de voar alto. Quando uma mulher cresce, todos ao seu redor crescem também. (*) Stephanie Zalcman: é Diretora Técnica de Operações e Estruturação da Wiz Soluções em Seguros e embaixadora da Sou Segura (Associação das Mulheres no Mercado de Seguros)