Please reload

Seguro ambiental obrigatório aprovado pela nova lei será um diferencial estratégico para as empresas

Recentemente, foi aprovado pela Comissão de Meio Ambiente (CMA), do Senado Federal, em decisão unânime, o projeto de lei PLS 767/2015, que pode tornar obrigatório a contratação do seguro ambiental.

 

Esse é um movimento importante e polêmico. De um lado poderá movimentar de alguma forma o mercado securitário, fomentando a demanda por um seguro que cresce a cada dia e vem tomando maior importância dentro das estratégias operacionais das empresas. Entretanto, por outro lado, a simples obrigatoriedade de contratação de um seguro não significa que isto será feito da forma adequada, de modo que venham realmente cumprir sua finalidade, a de proteger as empresas contra eventuais riscos a que estão expostas.

 

O seguro ambiental está longe de ser um seguro de “prateleira”. Desta forma, durante o processo de contratação de uma apólice, uma análise técnica e minuciosa é realizada. Apesar da boa capacidade e conhecimento do mercado de seguros que opera com essa modalidade, o número de seguradoras ainda é de certa forma limitado, o que poderá gerar um “gargalo” na disponibilização de cotações face ao aumento na demanda.

 

O crescimento da demanda em um cenário de capacidade reduzida de atendimento pelo mercado segurador poderá gerar também, em um primeiro momento, uma pressão pelo aumento do custo deste seguro, ainda mais com o peso da obrigatoriedade. Porém, a massificação que ocorrerá deverá, em um médio prazo, trazer novas companhias e eventualmente aliviar a pressão de custo.

 

Partindo dessa premissa, companhias que se anteciparem a esse movimento, além de protegidas pela apólice em questão contra eventuais incidentes, certamente atravessarão esta fase inicial de uma possível obrigatoriedade deste seguro de forma mais estável e com seus custos mais controlados por já terem uma base de precificação de seu risco estabelecida com as seguradoras que operam com esta modalidade.

 

A Aon conta com uma vasta experiência no setor. Certamente, a nossa expertise pode contribuir com mais informações a respeito do Seguro para Riscos Ambientais, Projeto de Lei PLS 765/2015 e o mercado segurador como um todo.

 

* Alexandre Jardim é Diretor de Responsabilidade Civil e Riscos Ambientais da Aon Brasil

 

 

Please reload

Quinzena do Seguro .gif

Seg News fecha agenda de 2019 com os Seminários de Arbitragem e de Gerenciamento de Riscos de Incêndio e Explosões no dia 05 de Dezembro!!!!!!!!!!

November 16, 2019

Agenda Seg News 2020 com novos temas e palestrantes: Lucros Cessantes, Análise de Balanços, Licitações de Garantia, Gerenciameto de Riscos e Seguro de...

November 16, 2019

GBOEX tem novo Superintendente de TI

November 14, 2019

Refinamento da cobertura de seguro no setor hoteleiro

November 14, 2019

IRB Brasil RE apresenta iniciativas inovadoras na ABGR

November 14, 2019

Susep desregulamenta categoria dos Corretores de Seguros

November 11, 2019

Governo edita Medida Provisória que extingue DPVAT a partir de 2020

November 11, 2019

CNseg promove encontro de gerações em websérie

November 5, 2019

Haverá amanhã para as Operadoras de Plano de Saúde de Pequeno e Médio Porte?

November 5, 2019

1/4
Please reload